sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

2020's Reflections: os melhores do ano (nacional)



No Brasil, infelizmente, a pandemia revelou o quanto o cenário é fragmentado, e a maioria dos headbangers não consegue fixar sua atenção ao que é mais importante no cenário: a música. Mas mesmo assim, o Brasil mostrou bandas sublimes e trabalhos de alto nível. 

Segue a lista dos melhores do ano na opinião de Marcos Garcia. Lembrando que esta relação é referente a discos que saíram entre dezembro de 2019 até final de outubro de 2020 (ou seja, alguns releases de 2020 deverão estar na lista de 2021). 


Top 20 álbuns:

No. 20: 

Banda: PANDEMMY 
Álbum: Subversive Need 
Estilo: Death Metal, Death/Thrash Metal 
Cidade/Estado: Recife (PE) 
Ano de fundação: 2009 
Selo: Independente 


O Brasil tem uma tradição óbvia em termos de Metal extremo, e não é de se surpreender que o Nordeste do país venham bandas com uma carga extrema evidente. E o quarteto, que vem evoluindo disco após disco, fez bonito em seu terceiro álbum. 

Brutal e opressivo, mas cheio de técnica e um ‘feeling’ melodioso subjetivo, fica óbvia a vocação do grupo em ser um nome relevante em canções como “Deforestation”, “Neohate” e “Xenophobia”, que inclusive mostram como estão antenados com a realidade que os cerca em suas letras. 

E tendo em mentem que ainda podem render mais que isso os coloca como um futuro titã do gênero no país. 



No. 19: 

Banda: TAURUS 
Álbum: V 
Estilo: Thrash Metal 
Cidade/Estado: Niterói (RJ) 
Ano de fundação: 1985 
Selo: Dies Irae Records 

Após retomarem as atividades em 2006, e depois de dez anos de espera após o lançamento de “Fissura”, eis que o grupo retomou seus trabalhos e lançou um disco de alto nível. 

Mantendo sua fidelidade às raízes de seu Speed/Thrash Metal, o grupo mostrou-se capaz de se adaptar à uma sonoridade mais moderna, e uma vinda nova (e bem agressiva) pulsa em canções como “Nove Vidas”, “Gap” e “Mutation”. 

Ou seja: o quarteto não está para brincadeiras, e veio cuspindo fogo Thrash Metal para todos os lados! 



No. 18: 

Banda: SACRAMENTIA 
Álbum: Prophecies of Plague 
Estilo: Black Metal, Death/Black Metal 
Cidade/Estado: São João da Boa Vista (SP) 
Ano de fundação: 2020 
Selo: Merlin Records 


Eis uma surpresa daquelas bem legais de se encontrar. O trabalho da banda transita em um meio termo entre MAYHEM e DARKTHRONE com influências de Technical Death Metal à lá DEATH. Mas sempre mostrando algo pessoa, algo que eles tiram de seus corações. 

E em seu primeiro disco, mesmo com a inexperiência como banda (pois é um grupo ainda bem jovem), canções como “Scorn Fate”, “Black Psalm” e “Falling State ov Mind” uma banda promissora. Ou seja: se existe inexperiência e eles são capazes de um disco assim, o futuro tende a ser extremamente promissor. 

Particularmente, é um dos grupo novos que este autor mais acredita. 



No. 17: 

Banda: JUSTABELI 
Álbum: Intense Heavy Clash 
Estilo: Death/Black Metal 
Cidade/Estado: Diadema (SP) 
Ano de fundação: 2001 
Selo: Independente 


A verdade é que este grupo veterano dentro de seu gênero merece muito respeito, e mesmo maior projeção, pois a experiência lhes permitiu criar um disco poderoso, agressivo, mas extremamente bem feito, com alguns toques melodiosos e com uma energia empolgante. 

Este, que é o terceiro disco do grupo, mostra um amadurecimento musical enorme. E ao ouvir “Intense Heavy Clash”, “Satanic War Black Metal” e “In the Jaws of Death”, fica evidente que os fãs não precisam ficar caçando algo bom para ouvir em bandas gringas. Eles estão aqui! 

Ouça e sobreviva, se for capaz... 



No. 16: 

Banda: SEMBLANT
Álbum: Obscura
Estilo: Symphonic Metal, Symphonic Gothic Metal
Cidade/Estado: Curitiba (PR) 
Ano de fundação: 2006
Selo: Frontiers Records SRL


Alguns grupos conseguem, com muito esforço, mostrar seu trabalho no exterior e ter a sorte que alguma gravadora se interesse (e lance) por lá. E o sexteto curitibano conseguiu, pois seu mais recente disco saiu na Europa.

E isso significa que o grupo veio para mostrar que cresceu e evoluiu. Algo que fica bem evidente ao se ouvir “Murder of Crows” , “Left Behind”e “Barely Breathing”. O nível de qualidade atingido é tão alto que só pode ser superado se o sexteto sair para gravar por lá.

Uma surpresa e tanto para este ano que  se encerra.



No. 15: 

Banda: GEFRORENE FEE 
Álbum: Schneegeist 
Estilo: Atmospheric Black Metal 
Cidade/Estado: Poços de Caldas (MG) 
Ano de fundação: 
Selo: GS Productions 


Em geral, o Black Metal brasileiro é quase sempre apresentado na forma mais tradicional do gênero (ou seja, em uma tendência próxima ao que se ouvia no início dos anos 90) ou mesmo rebuscando os aspectos melodiosos. Mas esse trio veio para mostrar um trabalho voltado ao jeito de se fazer Atmospheric Black Metal dos anos 90, quando nomes como o SUMMONING encantaram muitos. 

Para os fãs do gênero (que não são poucos), músicas como “Stilleben”, “Storm Grimm” e “Winterfrost Howl” terão um ‘appeal’ irresistível. Mas o disco inteiro é muito bom, envolvente e forte. 

Esperemos que a banda não pare nesse lançamento, pois seu trabalho é muito promissor. 



No. 14: 

Banda: BAD BEBOP 
Álbum: Starting Riots 
Estilo: Stoner Metal, Stoner Rock 
Cidade/Estado: Curitiba (PR) 
Ano de fundação: 
Selo: Independente 


Se o primeiro disco do trio, “Prime Time Murder”, já mostrava que o grupo tinha pegada para a coisa, no seu segundo álbum, eles já tomam aspecto de um dos grandes nomes do cenário nacional. 

Sabendo se equilibrar entre o ‘appeal’ orgânico do gênero com uma definição sonora ótima, e mostrando criatividade de sobra, o ouvinte acaba ficando grudado em canções como “This Grace”, “Sunset Drive” e “How Are You Holding Up”. Mas é preciso admitir: o grupo realmente estava inspirado ao escrever esse disco. 

Pode-se aferir que de promessa, o grupo se tornou uma ótima realidade. 



No. 13: 

Banda: BRAVE 
Álbum: The Oracle 
Estilo: Heavy Metal, Epic Power/Heavy Metal 
Cidade/Estado: Itu (São Paulo) 
Ano de fundação: 1998 
Selo: Independente 


Mais de 20 anos de experiência sempre fazem uma enorme diferença. E o quarteto mostrou que sua música é poderosa, melódica e com um ‘appeal’ épico nos moldes dos anos 80, embora com uma roupagem atualizada, muito peso e melodia. 

Por isso, se você ficar grudado na banda após ouvir “Firestorm”, “Valhalla” e “Fall to the Empire”, não é uma mera coincidência. De forma alguma, o trabalho deles realmente é de primeira, e merece aplausos. 

Todos saúdem os bravos do Metal nacional! 



No. 12: 

Banda: HELLGARDEN 
Álbum: Making Noise, Living Fast 
Estilo: Thrash Metal, Groove/Thrash Metal 
Cidade/Estado: Botucatu (SP) 
Ano de fundação: 2017 
Selo: Brutal Records 

Em tudo que tange o termo ‘Groove’, há muita resistência por parte de fãs mais conservadores. Mas não se pode negar que o quarteto já chegou com uma voadora de energia e agressividade ímpares. 

Embora seja o primeiro disco do grupo, é fato que “Spit on Hypocrisy”, “Fuck the Consequences” e “Making Noise, Living Fast” são muquetas bem dadas na cara de qualquer chato de plantão, de tão boas. 

O disco é uma bicuda nos beiços, e a banda, de primeira. 



No. 11: 

Banda: SCARS 
Álbum: Predatory 
Estilo: Thrash Metal 
Cidade/Estado: São Paulo (SP) 
Ano de fundação: 1991 
Selo: Brutal Records 


E eis que o quinteto depois de 11 anos chega com seu segundo álbum. Mas valeu a espera, pois eles vieram com sangue nos olhos e com músicas raçudas, dispostos a não deixarem pedra sobre pedra e pescoços intactos! 

Violento, bruto, mas bem trabalhado, o disco em si é um primor. Basta ouvir assassinatos sonoros como “Predatory”, “Sad Darkness of the Soul” e “Violent Show” para saber que eles realmente não perderam a pegada. 

É uma pedrada nos ouvidos, e assim que a pandemia acabar e os shows começarem, preparem o gelo e as talas! 



No. 10 

Banda: ALCHEMIA 
Álbum: Inception 
Estilo: Horror Metal 
Cidade/Estado: São Paulo (SP) 
Ano de fundação: 2018 
Selo: Shinigami Records 


E eis que um projeto ambicioso tomou forma no Brasil: a fusão de elementos de Metal tradicional, Death Metal e Black Metal, mais algo de Symphonic Metal e sempre com uma ambientação sonora densa e carregada. Algo diferente, e algo muito bom. 

Uma simples audição em “Grind”, “Inception” e “Mind Prison” mostram que algo novo, fresco e inebriantemente aterrador, está sendo construído pelo grupo, sem a mínima sombra de dúvidas. 

Quem viver, verá. 



No. 9: 

Banda: APOKRISIS 
Álbum: Misanthropy 
Estilo: Thrash/Death Metal, Modern Metal 
Cidade/Estado: São Paulo (SP) 
Ano de fundação: 2007 
Selo: Independente 


Pode-se aferir que o grupo faz uma mistura de Thrash/Death Metal com elementos modernos, e assim, nasce uma música causticante, violenta e abrasiva, mas arranjada com bom gosto e extremamente sedutora. 

Depois de anos lutando no underground e lançando Singles, é bom ouvir canções como “Souls Collector”, “Bloodlust” e “Quantum Messiah”, pois são amassa-crânios de primeira, e o torcicolo nosso de cada dia está mais que garantido. 

Talentosos demais, logo, dê a si mesmo a chance de gostar deles. Não vai se arrepender. 



No. 8: 

Banda: LITOSTH 
Título: Crossed Parallels of Self Refraction 
Estilo: Black Metal, Pagan Black Metal 
Cidade/Estado: Caxias do Sul (RS) 
Ano de fundação: 2016 
Selo: Cold Art Industry Records 


O Sul do Brasil sempre foi um excelente celeiro para bandas de Metal extremo, e o Black Metal sempre se mostra revelador de talentos na região. Por isso, esse grupo com membros com ligações com PATRIA, MYSTERIIS, SWORDS AT HYMNS e I GATHER YOUR GRIEF não poderia deixar de fazer um trabalho primoroso. 

Intenso, sedutor e com uma ambientação que transita entre o soturno e melancólico, este disco mostra em “Vivid Flatliners”, “Inanis Carnis” e “400 - 790 Terahertz Landscapes” que merece estar entre os grandes nomes do gênero no país. 

Um senhor disco, e que beleza! 



No. 7: 

Banda: FABRÍCIO PEREIRA 
Título: Death Row 
Estilo: Metal Instrumental, Fusion Metal 
Cidade/Estado: São Carlos (SP) 
Ano de fundação: 2019 
Selo: Independente 


Quando o músico necessita de expressar suas ideias em um formato instrumental, em geral faz com que muitos fãs torçam o nariz. E isso é um dos maiores erros que se pode cometer, pois trabalhos de primeira como este ficam deixados de lado. 

Moderno, vibrante e empolgante, esse disco tem momentos como “DOA”, “Death Row” e “Symphony of Sobibor”, músicas que levam o ouvinte a repensar suas concepções sobre discos instrumentais focados nas guitarras. 

Resta apenas torcer para que o excelente trabalho de Fabrício tenha sequências. 



No. 6: 

Banda: MONSTRACTOR 
Título: Back from the Junkyard 
Estilo: Thrash Metal, Groove Thrash Metal 
Cidade/Estado: Resende (RJ) 
Ano de fundação: 2012 
Selo: Independente 


Se em “Recycling Thrash” de 2015 o grupo já se mostrava promissor, eis que nessse segundo álbum eles resolvem pôr para fora toda sua vocação para deixar os ouvidos dando sinal de ocupado por horas. É um Thrash Metal nervoso, raçudo e um autêntico ‘sasquatch’ em termos de peso. 

“Back from the Junkyard”, “March to the Sun” e “Sasquatch” são músicas que mostram o quanto o quarteto evoluiu, e o quanto ainda pode dar ao cenário nacional, pois o talento deles está cada vez mais se tornando uma realidade palpável. 

Um pisão no pé, uma bicuda na porta, e um disco difícil de resistir. 



No. 5: 

Banda: NECROMANCER 
Título: Pattern of Repulse 
Estilo: Thrash/Death Metal 
Cidade/Estado: Rio de Janeiro (RJ) 
Ano de fundação: 1986 
Selo: Heavy Metal Rock 


Pode-se dizer que o quinteto em “Forbidden Art” (2014) havia finalmente lançado um álbum com seu material antigo. Mas agora, o grupo mostra-se vivo e disposto a seguir adiante com seu Thrash Metal Old School raivoso e agressivo. Sim, eles não vão parar, e ainda bem por isso. 

A agressividade é enorme, e clara aos ouvidos em “Cloack of Impunity”, “Absence of God” e “Riders of Apocalypse”, e o disco inteiro é um murro de brutalidade Old School para os fãs. 

O quinteto merece aplausos, tanto pela resiliência como pela coragem. 



No. 4: 

Banda: VULCANO 
Título: Eye in Hell 
Estilo: Black/Thrash Metal 
Cidade/Estado: Santos (SP) 
Ano de fundação: 1981 
Selo: Heavy Metal Rock 


E eis que a Vingadora de Satã bate suas asas mais uma vez, e o quinteto mostra-se fiel às suas raízes, mas com algo novo em seu som, algo jovem e cheio de energia, como se a banda houvesse reencarnado mais uma vez. 

A experiência dos anos e a energia da juventude se aliaram para criar momentos sublimes como “Bride of Satan”, “Evil Empire” e “Cybernetic Beast”, canções que mostram que o grupo não vive de passado. 

Não é à toa que são tão cultuados e reverenciados (e imitados, mas nunca igualados). 



Deste ponto em diante, nos 3 primeiros, pode-se dizer que há um empate técnico. Os 3 discos são excelentes, e fica difícil aferir qual o melhor entre eles. 


No. 3: 

Banda: CHAOSFEAR 
Título: Be the Light in Dark Days 
Estilo: Thrash Metal, Groove Thrash Metal, Thrash Metal Experimental 
Cidade/Estado: São Paulo (SP) 
Ano de fundação: 2003 
Selo: Independente 


Sair do ponto comum pode ser quase um pecado mortal no cenário brasileiro, onde as pessoas quase sempre reverenciam ‘mortos em atividade’ apenas pelo nome. Mas isso não impede que esse quarteto genial reescreva o ‘script’ quando bem entender. 

Sensível, denso, criativo e caótico, o disco mostra em momentos como “Be the Light in Dark Days”, “Cold” e “Mindshut” que se fosse fora do Brasil, seriam reverenciados por estarem fugindo do ponto comum e do mais do mesmo. 

Esqueça zumbis gringos que vivem de discos ao vivo e se permitam encarar o novo de ouvidos e braços abertos. 




No. 2: 

Banda: VULTURE 
Título: The End of Agony 
Estilo: Death Metal, Melodic Death Metal 
Cidade/Estado: Itapetininga (SP) 
Ano de fundação: 1995 
Selo: Mutilation Records 


E mais uma vez o quarteto vem para mostrar o quanto é injusto o fato de que não são mais amplamente reconhecidos dentro do cenário extremo do Brasil. Até mesmo do cenário Metal como um todo, pois eles possuem uma qualidade inquestionável. 

Para quem tiver dúvidas, uma simples ouvida em “Retaliation”, “Descent Ways” e “Many Tales to Believe” para que se perceba que o quarteto está em outro nível em termos de qualidade. 

Um disco excelente e bem feito, que mostra que a banda já não cabe mais no Brasil. 



No. 1: 

Banda: WARSHIPPER 
Título: Barren… 
Estilo: Death Metal, Techno Death Metal 
Cidade/Estado: Sorocaba (SP) 
Ano de fundação: 2011 
Selo: Heavy Metal Rock 


Quem acompanha a banda desde “Worshippers of Doom” (2014), sabe que o inesperado é a essência do trabalho musical deles. “Black Sun” (2018) já havia denunciado isso claramente, mas nesse ano, eles extrapolaram em termos de experimentação e criatividade, fazendo um disco esmagador. 

Um dos discos mais versáteis e experimentais do cenário extremo nacional, pérolas sonoras como “Barren Black”, “Anagrams of Sorrow” e “Knowing Just As I (Detachment)” vieram para desafiar todas as concepções musicais já estabelecidas por eles mesmos. 

Um disco para ser aplaudido de pé, e uma banda que tem tudo para ganhar o mundo. 



Melhor EP:


Banda: THE TROOPS OF DOOM 
Título: The Rise of Heresy 
Estilo: Old Schoool Death/Thrash Metal 
Cidade/Estado: Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Carlos Barbosa (RS) 
Ano de fundação: 2019 
Selo: Blood Blast Distribution 



Melhor disco ao vivo:



Banda: AZUL LIMÃO 
Título: En Acción 
Estilo: Heavy Metal 
Cidade/Estado: Rio de Janeiro (RJ) 
Ano de fundação: 1981 
Selo: Dies Irae Records 



Melhor DVD:



VULCANO - The Awakening of an Ancient and Wicked Soul - Trilogy 
Banda: VULCANO 
Título: The Awakening of an Ancient and Wicked Soul - Trilogy 
Estilo: Thrash Metal, Black/Thrash Metal 
Cidade/Estado: Santos (RJ) 
Ano de fundação: 1981 
Selo: Heavy Metal Rock 



Decepção: 

Infelizmente, passam-se os anos, mas existem três decepções que parecem constantes no cenário nacional: 

1. Os headbangers do Brasil não dando o devido valor às bandas nacionais, mesmo que elas criem algo fabuloso (e continuam sempre no mais do mesmo); 



2. A eterna mania de Max Calavera perder tempo falando do SEPULTURA em todos os momentos que pode.


Já está chato...



3. A valorização das notícias estilo “Contigo” do que as notícias realmente importantes.

Mais parece que os fãs querem saber com a cor da cueca com que Lemmy foi cremado do que com discos que estão sendo lançados.



6 comentários:

  1. Metal Mind Reflections, chegar no fim de um ano como este, e receber um feedback assim. Nos faz sentir que estamos fazendo algo bacana, que agrega de alguma forma ao estilo e ao que amamos fazer. Ver o nome da banda numa lista dessas é gratificante demais. Passa um filme na cabeça, em relação à todas as dificuldades que tivemos pra concluir esse álbum.
    Nos faz sentir que tudo valeu a pena 👽🤘.
    Em nome do Monstractor,agradeço e desejo vida longa ao MMR e à todas as bandas que foram merecidamente citadas.
    O Metal brasileiro vive!!!!

    ResponderExcluir
  2. "Mais parece que os fãs" porra brother, monsterman guitarrista do monstractor, corrige essa porra ai...

    ResponderExcluir
  3. Fala, Marcão!
    Bela lista, e fico feliz de ver o En Acción ali!
    Abraço
    Trevas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês merecem, pois o disco ficou muito bom, :)
      Quero ver a sua lista, :)

      Excluir
  4. Que bela lista! Ótimas escolhas (e justas)... E o melhor, fogem da bajulação das bandas de sempre e das seleções no estilo “tapas nos ombros”.
    Parabéns Marcos e Longa Vida ao M.M.R.

    ResponderExcluir