terça-feira, 8 de junho de 2021

MOTORHAMMER - Round 35

Ano: 2021
Tipo: Extended Play (EP)
Selo: Independente


Musicalidade: 9
Composição: 9
Memorabilidade: 9
Produção: 9


Texto: Marcos Garcia


Introdução:

No Brasil, não é um hábito comum celebrar a carreira de músicos. Ainda mais dentro do Metal.

Esse tipo de cultura ainda não é devidamente difundido em meio ao cenário. Aliás, mesmo eventos comemorativos do tipo acabam sendo deixados de lado por muitos fãs. Só que isso não impede os músicos de fazerem isso.

E eis que o conhecido baterista Edson Grasefi vem celebrar seus 35 anos de carreira com “Round 35”, um EP de cinco faixas que varre sua carreira com sua nova banda, chamada MOTORHAMMER, .


Análise geral:

O EP vem mostrando canções de todas as fases e bandas pelas quais Edson passou nessas quase 4 décadas por trás da bateria (e tudo por conta do show do VENOM e EXCITER em dezembro de 1986, tendo abertura do VULCANO em São Paulo, em 10 de dezembro daquele ano, uma quarta-feira), como PUNCH, REVIOLENCE, e CHASING FEAR (e não sabemos porque cargas d’água nada do PANZER ou do COSMIC ROVER). Todas mostram como a carreira de Edson é diversificada em termos musicais (do Thrash Metal ao Stoner Metal/Rock).

Aqui, todas elas ganham uma roupagem moderna, atual e pesada, mas sempre respeitando o que existem em termos de harmonias e linhas melódicas das versões originais. Aliás, é bom citar que o equilíbrio entre peso, melodia e agressividade está de alto nível, bem como o nível técnico (sem estar exagerando no último aspecto).

Ou seja, “Round 35” é não só uma celebração, mas um EP muito legal de se ouvir.


Qualidade sonora:

Gravado em dois estúdios diferentes: as partes da bateria sendo feitas no Estúdio Orra Meu (do guitarrista Marcelo Schevano, do GOLPE DE ESTADO), e vocais, baixo e guitarras foram gravados no estúdio de Renato Haboriny (guitarrista do grupo, que também assina a produção do EP).

Apesar da clareza sonora, e do ‘punch’ abrasivo e moderno, sente-se algo de orgânico, quase como se não existam muitas edições digitais (algo do qual Edson não é muito adepto). Está claro e bem definido, mas pesado e com uma aura artesanal.


Arte gráfica/capa:

Quase como de praxe, a capa do EP é bem simples, com uma arte que parece feita à mão (o que pode ter acontecido, já que Edson também é tatuador).

O contraste de cores (que também não é lá muito complexo) também mostra essa aura quase que de HQs.

Edson on the drums


Mensagem/letras:

Basicamente, cada letra tem seu tempo e sua própria estória.

Como já dito, são letras de canções de grupos diferentes, logo, não há uma mensagem central que estabeleça um conceito, apenas uma mensagem direta. Há momentos de algo mais voltado ao social e à experiências pessoais e ode ao Metal.


Destaques musicais:

Basicamente, 5 canções não serviriam para ilustrar tantos anos de uma carreira consolidada. Mas se percebe que o ‘core’ criativo de Edson permeia cada uma das canções, exceto uma.

“Fighting Against the Walls” é um Thrash Metal vigoroso e com clara referência à METALLICA e ANTHRAX (uma vez que essa vem de uma Demo do PUNCH de 1992), um com um trabalho ótimo em termos de guitarras e voz. “Warning Hell” (um Thrash Metal clássico com um toque de groove tradicional, que empolga o ouvinte, com uma bateria bem técnica e com alguns toques percussivos dignos do Brasil, fora o baixo mostrar arranjos nada convencionais) e “The Metal Church” (mais sombria e quase uma balada triste, esta possui uma carga emocional e melódica muito forte que se aproxima do Metal tradicional em alguns momentos, onde o timbre normal rouco e esganiçado de Edson se encaixa perfeitamente) são de “Modern Beast” (2010), do REVIOLENCE. Em “Rage Over Rage” (canção do CHASING FEAR, lançada na Demo Tape “Hanged Words”, que foi produzida por Marcelo Pompeu e Heros Trench do KORZUS) é uma pancada com ritmos mais lentos e abrasivos, e com uma técnica de bateria com muito peso e groove (fora os arranjos de baixo serem ótimos). E fechando, uma versão do trio para “Allied Forces”, do trio canadense TRIUMPH (que para os que não conhecem , era bem famoso na primeira metade dos anos 80, teve muito sucesso, e mostrava dois vocalistas, um deles o baterista Gil Moore), onde o Hard Rock pesado do trio ganhou uma roupagem agressiva e atualizada (sem descaracterizar a versão original e seus elementos clássicos, especialmente no que tange as guitarras).

Uma celebração em grande estilo.


Conclusão:

A bem da verdade, “Round 35” é um EP bem legal de se ouvir e digerir, honra o passado de Edson, mas verdade seja dita: o MOTORHAMMER merece continuar na estrada.

Ah, sim: “Round 35” pode ser ouvido no site oficial de Edson na íntegra (e mesmo baixado).


Tracklist:

1. Fighting Against the Walls
2. Warning Hell
3. Rage Over Rage
4. The Metal Church
5. Allied Forces


Banda:


Edson Graseffi - Bateria, Vocais
Renato Haboriny - Guitarras
Daniel Corvo - Baixo


Contatos:

Facebook:
E-mail:
Assessoria: www.asepress.com.br/music (ASE Assessoria de Imprensa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário